Por que batizar por imersão?

Publicado: 5 de setembro de 2008 em Batismo

O batismo é um mandamento do Senhor (Mateus 28:19), e quem crê deve ser batizado. Mas alguém pergunta: “Batizar, sim… mas por que por imersão?” Considere os  quatro pontos abaixo.

1) O Exemplo Bíblico – A Bíblia não afirma que os batismos ali descritos foram por imersão (nem seria necessário; veja o ponto 4), mas eles são associados com muita água, sugerindo tal pratica (João 3:23; Atos 8:38-39, etc.).  

2) O Exemplo Histórico – Historiadores escrevem que, no inicio desta era, o batismo era por imersão; formas diferentes só apareceram depois.

3) O Significado do Batismo – O significado do batismo é exposto em Romanos 6:1-14 é um testemunho de que o cristão está identificado com Cristo, morrendo para o pecado e ressuscitando para uma nova vida. A imersão expressa isto perfeitamente: ao desaparecer nas águas estamos, simbolicamente, sendo sepultados com Cristo; ao emergir, ressuscitamos, em figura com Ele. Nenhuma outra forma de batismo pode representar estas verdades tão adequada e claramente.

4) O significado da Palavra – A palavra “batismo” não é propriamente da língua portuguesa, mas foi transliterada do vocábulo grega que significa “imersão, mergulho”. Portanto, quando a Bíblia fala de batismo, está usando uma palavra que quer dizer mergulhar, imergir.

O ensino da bíblia é claro. O Senhor Jesus ordenou que quem cresse fosse batizado (literalmente, “mergulho”), num testemunho publico da transformação que a salvação produz. Foi assim que a igreja primitiva e os apóstolos fizeram. Sem duvida é assim que devemos fazer, ainda hoje.

W.J.W.

Anúncios

Por que um Pão e um Cálice?

Publicado: 4 de setembro de 2008 em Perguntas e Respostas, Santa Ceia

Muitos celebram a Ceia usando pedaços de pão e cálices individuais, alegando que não há nada de errado nisso, e é mais higiênico.

Será importante este detalhe? Devemos insistir no uso de um pão e de um cálice?

Quando o Senhor instituiu a Ceia Ele usou um pão e um cálice, e disse: “Fazei isto” (I Cor. 11:24-25). Note a forma imperativa. Ele mandou que fizéssemos como Ele fez. Modificar é desobedecer.

O Senhor deu graças pelo pão e o deu aos discípulos; também deu graças pelo cálice e deu-lho (Mat. 26:26-27). Cada discípulo participou do único pão e do único cálice.

Não foi por acaso que o Senhor instituiu a Ceia usando apenas um pão e um cálice. Nem foi por falta de cálices. Ele quis ensinar uma verdade importante. O pão e o cálice são símbolos, com significado duplo. Representam o corpo e o sangue do Senhor (Mat. 26:26-28), e também simbolizam o corpo místico de Cristo, a Seu igreja, e a nossa comunhão nele (I Cor. 10:16-17). Pedaços de pão e cálices individuais não simbolizam a unidade do corpo, nem nossa comunhão; destroem a figura. Unidade e comunhão são simbolizadas pelo único pão e pelo único cálice.

Cada vez que o Novo Testamento fala do pão ou do cálice, usa sempe p singular. Façamos “isto”.

Por que usar o véu?

Publicado: 4 de setembro de 2008 em O Véu, Perguntas e Respostas

POR QUE USAR O VÉU?

As mulheres salvas devem cobrir suas cabeças com um véu durante as reuniões da igreja. Não por costume ou preconceito mas por obediência à Palavra de Deus, pelos motivos enumerados abaixo:

1) Há uma distinção entre os sexos, estabelecida por Deus (veja I Co 11:3-9; I Tm 2:11-14; Ef 5:22-28). Não é uma diferença qualitativa (um não é melhor que o outro), nem prioritária (um não é mais importante que o outro), mas sim uma diferença posicional (o homem é cabeça da mulher).

2) A ordem divina estabelece que, nas reuniões publicas da igreja, as irmãs devem cobrir suas cabeças (veja I Co 11:5-15). Para uma mulher temente a Deus, nem seria necessário que o Senhor explicasse o motivo desta ordem; Ele mandou, nós obedecemos.

3) A glória de Deus é destacada através do véu. A Bíblia fala de três glorias em I Co 11; 1-16. A glória de Deus (que é o homem, v. 7), a gloriado homem (que é a mulher, v.7) e a gloria da mulher (que é seu cabelo cumprido, v.15; a palavra traduzida “honroso” é a mesma traduzida “glória” no v.7). Ao cobrir-se com o véu, a mulher está, em figura, cobrindo a sua glória (seu cabelo) e a glória do homem (ela própria), sendo que apenas a glória de Deus fica evidente (v.7).

4) Esta prática é “sinal de poderio” (I Co 11:16). Os anjos, observando a atitude submissa das irmãs que usam véu, estão vendo uma figura da ordem divina.

5) Obedecê-la e nosso dever (I Co 11:16). As irmãs que recusam-se a usar o véu, e os irmãos que as apóiam, são descritos como sendo “contenciosos”. Que Deus nos poupe desta atitude de rebeldia, e crie em nossos corações uma obediência sincera à Sua Palavra.

W.J.W.

Carta de Miguel Spina

Publicado: 12 de junho de 2008 em História da Igreja

A MINHA ALMA ENGRANDECE AO SENHOR; E MEU ESPIRITO SE ALEGRA EM DEUS MEU SALVADOR. (S. LUCAS 1: 46-47)

 

Cara irmandade. A paz de Deus

 

Por meio dessa, apresento um relato resumindo das ultimas duas viagens que Deus concedeu a mim e a minha esposa, nos anos de 1962 e 1963, a vários países.

 

PORTUGAL – Pela graça de Deus, nesse pais, vem o Senhor fazendo uma gloriosa obra, chamando muitas almas,  batizando-as com a bendita Promessa do Espirito Santo, curando enfermos, e libertando a muitos que estavam possuídos de maus espíritos. Louvado seja Deus, que somos testemunhas oculares destas maravilhas. O Senhor tem preparado mais anciães e tem sido tampem aberta mais salas de orações. Louvado seja Deus.

 

SUÍÇA – Na cidade de Genebra também há vários grupos de irmandade vindo da Itália, e mesmo em 1962, o Senhor tem preparado de irem duas irmãs daqui, as quais testemunharam alguns suíços e também ali Deus levantou mais um ancião. Todavia naquela cidade a obra vai bem de vagar.

 

ITÁLIA – Tivemos a oportunidade de nos congrega  tanto em Roma assim como em diversas cidades da Sicília, como segue: Messina, Escaleta, Novara, Calatabiano, Catánia e Termini Imerese. Infelizmente, a obra nessa nação está dividida por questões de doutrina. Todavia, há um remanescente que se conserva na sã doutrina. Visitamos em Roma as catacumbas, onde nossos primitivos irmãos se refugiavam e vimos também o Coliseu onde muitos dele s foram devorados pelas feras e outros queimados vivos.

 

GRÉCIA – Na cidade de Atenas nos congregamos em vários lugares, sendo que num deles, depois de termos testemunhado da grande obra que Deus vem fazendo no Brasil, o ministro manifestou grande alegria, e ainda chamou a atenção as irmãs, mostrando-lhes o exemplo da irmã brasileira, com seus trajes simples e com á cabeça coberta com véu de acordo com a palavra de Deus. Aleluia. Congragamo-nos  também em Tessalônica, onde Deus nos deu de lhes apresentar vários testemunhos e falar sobre o andamento da Obra de Deus no Brasil. Meses após recebemos uma carta do ministro, na qual manifestou sentir certa saudade em sentir o calor do Espirito Santo, como sentiu na noite em que estivemos reunidos com ele. Visitamos na Grécia vários lugares em que o apostolo São Paulo este pregando a palavra de Deus como seja: Corinto, o Areópago, Filipos, onde vimos também a prisão em que Paulo e Silas estiveram e onde se converteu o carcereiro. Vimos ali próximo, o rio em que Lídia fora batizada. Percorremos a região da Macedônia. Aleluia.

 

EGITO – Visitamos ao Cairo e Ghisa vários sepulcros dos reis Faraó, museus, onde estão expostos todos os tesouros desses antigos reis, vimos as esfinges e as pirâmides no deserto do Sahara.   

 

LÍBANO – Congregamos em dois lugares na cidade de Beirut, sendo que num dos grupos encontramos mais  simplicidade, e notamos estarem mais dentro da sã doutrina. Todavia, em ambos o Senhor nos deu de falar sobre a Obra que Ele vem fazendo no Brasil, e da maneira como Ele nos vem conduzindo, apresentando-lhes a simplicidade e a santidade cristã. No grupo que esta próximo a sã doutrina numa noite após o culto, disse o ministro para nos: “Louvado seja Deus, que nos enviou essa gloriosa mensagem nesta noite, da qual muito necessitávamos e Ele a enviou no tempo certo .” Aleluia. Vimos os cedros, os montes do Líbano e o Hermon. Louvado seja Deus.

 

SÍRIA – Estivemos primeiramente na cidade de Damasco, vimos na rua Direita onde foi a casa de Judas, nela que Paulo estava orando e também vimos a casa que morava Ananias e onde lhe apareceu o anjo mandando-o orar por Paulo. Vimos também a janela na muralha onde, por onde Paulo desceu num cesto para fulgir daquela cidade (Atos 9:25). Em Damasco também Deus nos concedeu a graça de congregar com um grupo de crentes e muito e muito também o Senhor nos deu de lhes falar de Sua gloriosa Obra, e que todos ouviram com alegria; lagrimas lhes corriam pelo rosto. Fomos depois para o norte, a uma cidade chamada Allepo, onde encontramos também um belo grupo de crentes, com quem nos congregamos varias vezes. Muito o Senhor nos deu de falar, e também pediram que orássemos para vários enfermos, depois do culto. Estivemos visitando vários enfermos num hospital. Uma jovem crente deveria ser operada. No entanto o Senhor nos deu de ungi-la e no dia seguinte ela teve alta, porquanto o Senhor a libertou. Em varias casas em que fomos visitar crentes, reuniam-se varias pessoas para ouvir sobre as coisas de Deus. Posteriormente recebemos cartas contando-nos que varias dessas pessoas se converteram e que uma irmã que sofria de terrível dor de cabeça a vários anos, durante a oração Deus a libertou complemente. Aleluia.

 

CHIPRE – Congregamo-nos na cidade de Nicósia, onde também com muita franqueza, Deus nos deu de expor vários pontos de doutrina embora ali estejam um tanto fora dela. Porem o ministro e todos os demais muito se alegraram. Percorremos aquela ilha de carro e estivemos na cidade de Pafos onde Paulo evangelizou e onde se encontra ainda o pilar em que o amarraram e lhe deram 39 chicotadas conforme consta ali.

 

TURQUIA – Congregamos em dois grupos na cidade de Istambul e num deles também o Senhor nos deu muita franqueza, apontando os seus erros de doutrina, no entanto, também eles manifestaram alegrai por tudo quanto Deus tinha mandado. Saímos de Istambul, atravessamos o Bósforo e percorremos de carro as zonas  da Ásia. Estivemos visitando as cidades onde estão as igrejas que constam em Apocalipse 2 e 3 como sejara: Éfeso, Smirna, Laodicéia, Sardes, Pérgamo, Filadélfia, Tiatira. Além desses lugares, estivemos também em Trôade, onde Paulo havia deixado a capa, livros e pergaminho (Timóteo 4). Estivemos também em Mileto, Icônio, Panfilia, Tarso onde nasceu Paulo, e em Antioquia, onde os discípulos foram pela primeira vez chamados de cristãos. Percorremos também a região da Capadócia. Todo o percurso foi feito de carro, viajamos seis mil quilômetros. Num desses dias contemplamos uma maravilha que Deus fez. Era um dia muito quente, sol muito forte, e procuramos um lugar para nos abrigarmos e descansarmos, mas não havia nem sequer um galho de árvore para fazer um pouco de sombra. Como minha esposa não estava passando bem, ela clamou ao Senhor, o Qual não demorou em vir ao nosso encontro mandando uma nuvem cobrir o nosso carro, e ela se movia acompanhando o carro. Víamos de uma a outra parte o sol e apenas sobre nosso carro havia a sombra que a nuvem fazia. Louvado seja Deus que tem tudo às Suas ordens e a favor de Seus filhos.

 

ISRAEL E JORDÂNIA – Visitamos nessas ações os seguintes lugares: A casa em que o anjo aparece a Maria anunciando o nascimento de Jesus. E vimos também a carpintaria de José. Mais adiante, a casa em que nasceu São João Batista e o lugar onde foi transformado a água em vinho, o mar onde foi feita a pesca maravilhosa, o lugar onde Jesus fez a multiplicação dos pães e peixes, o monte da transfiguração, o cenáculo onde Jesus celebro a ultima ceia. No lado da Jordânia vimos em Betania onde foi a casa de Maria, Marta e Lázaro. Em Jerusalém vimos o monte das Oliveiras, o jardim Gethsemane, a via dolorosa, onde Jesus passou com a crus aos ombros. Vimos o Petroriuas, onde Ele esteve perante Pilatos, a prisão, o lugar onde lhe puseram a coroa de espinhos, o monte do Gólgota, onde foi crucificado e o sepulcro onde Jesus esteve. Próximo ao sepulcro de Jesus, vimos a gruta em que morou o profeta Jeremias, quando escreveu o livro das lamentações. Vimos os vales de Ascalon, Josafate e Saron, também o lugar onde Felipe batizou o Eunuco, a estalagem onde o bom samaritano levou o homem que cairá nas mãos dos salteadores. Vimos o monte da tentação, onde Jesus esteve 40 dias e 40 noites. Vimos o rio Jordão, o Mar Morto, os carvalhais de Manre, onde o anjo apareceu a Abraão anunciando o nascimento de Isaque. Em Belém vimos a estalagem onde nasceu Jesus. Também visitamos os túmulos de Abraão, Isaque, Jacó, Sara, Raquel e Lea. Estivemos em Jope, vimos a casa onde morava Simão quando Pedro esteve lá orando e lhe apareceu uma visão com um lençol (Atos 10 e 11). Estivemos em Cesárea onde Pedro esteve em casa de Cornélio. Atualmente Cesárea está em completa ruína. Congregamo-nos em Jerusalém,Haifa, Bethlem e Amniam. Foram apresentados muitos pontos de doutrina, principalmente em Bethlem e Jerusalém, onde havia vários ministros e o Senhor nos deu de ler o capitulo 2 de Apocalipse, a carta enviada ao anjo da Igreja de Eféso, que si ele não se arrependesse, seria removido o seu castiçal. Deus nos deu de falar que devemos nos preparar, não somente para o dia da volta de Cristo, mais também para enfrentarmos o que esta para se manifestar ainda neste mundo, as religiões buscam se unir mas nós devemos buscar estarmos firmes a fé e na vocação em que fomos chamados, pois sabemos pela palavra de Deus, que a Igreja de Cristo será combatida, mas não será vencida e virá o dia em que, quem não tiver o sinal da besta na mão ou na testa, não poderá comprar, nem vender, etc. mas nos devemos ser fiéis ao nosso Senhor, O qual nos prometeu estar conosco em todos os dias. Aleluia. O Senhor nos deu em apontar seus erros, pois aos poucos estão introduzindo a idolatria, pois o diabo não vem de uma só vez, ele procura aos poucos introduzir sua doutrina. Vários exemplos o Senhor nos deu de lhe apresentar. Aleluia. Louvado seja Deus, que em todos esses paises do Oriente e da Ásia, o Senhor nos deu de lhes apresentar a Sã Doutrina, pois não fomos enviados para lhes pregar o Evangelho segundo as religiões, mas sim a Palavra da Graça, para que deixem os caminhos de homens e busquem se colocar de acordo com a Sã Doutrina, caso contrário, eles irão se unir com os idolatras e serão no fim todos condenados.

 

ÍNDIA – Congregamos tento em Nova Delhi, assim como em Calcutá. Nesta ultima cidade, muito o Senhor nos deu de falar, pois minha esposa contou várias maravilhas que Deus vem operando aqui e também testemunhamos da grande Obra que Deus está fazendo em nosso meio. Depois Deus nos deu de exortar a se conservarem na simplicidade e santidade cristã e buscarem estar preparados com vestes brancas e bordadas com as virtudes do Alto e preparados assim para o dia da volta de Cristo, que está bem próximo e muitas outras palavras o Senhor nos deu de lhes apresentar. Quando nos assentamos levanta-se a pianista dizendo: “Irmãos, temos ouvido a gloriosa mensagem que Deus nos enviou essa noite? Todos nos alegramos e dizemos Gloria a Jesus, Louvado seja Deus, pois é muito fácil falar, mas agora veremos si vamos por em pratica o que Deus nos enviou, porque escrito esta que nem tudo o que diz Senhor, Senhor entrara no reino dos céus, mas somente aqueles que fazem a vontade de nosso Pai que está nos céus.” Depois dela, mais alguns se levantaram falando mais ou menos na mesma linha. Por fim nos ajoelhamos e Deus chamou alguém em oração e depois toda a Igreja foi tomada em manifestação do Espírito Santo e Deus tomou uma irmã jovem, que permaneceu falando em novas línguas, depois falou  em inglês, dizendo: “Meus filhinhos atendei a mensagem que vos enviei esta noite. Eu mandei estes meus servos de tão longe vos trazer esta Mensagem, a fim de que estejais preparados porque a minha volta está bem próxima.” Louvado seja Deus. Aleluia. Interessante foi que em Tessalônica encontramos duas missionárias inglesas, as quais disseram estar em missão sendo reveladas pelo Espírito Santo, e mandadas por Deus, para visitar muitos paises anunciando que a volta de Cristo está bem próxima, e também as encontramos depois em Israel. Aleluia.

 

THAILAND – Fomos à cidade de Bangkok, onde também nos congregamos com um grupo de chineses e muito se alegraram e foram edificados por tudo quanto o Senhor nos dera de lhes contar, das maravilhas e da grande Obra de Deus vem fazendo aqui no Brasil. Aleluia.

 

HONG-KONG – Também nesse lugar encontramos um belo grupo de crentes, congregamos com eles e também tivemos algumas reuniões com os Anciães. Depois de lhes ter contado da maneira que o Senhor iniciou a Sua gloriosa Obra aqui no Brasil, como Ele revelou ao nosso caro irmão Francescon, quando ele ainda era da Igreja Presbiteriana, lhe mostrou o que fazer para estar de acordo com a Sã Doutrina. Então eles nos relataram que também na China, em 1918, um crente da Igreja Presbiteriana, orando, Deus lhe revelou que não estava de acordo com a Sua Palavra e lhe mostrou também o que deveria fazer, então ele obedeceu e o Senhor chamou ali milhares de almas. Mais tarde levantou-se uma perseguição contra a Igreja e esse irmão, chamado Lin (1), foi condenado a 15 anos de prisão, sendo que já cumpriu cerca de 12 anos e os irmãos nos pediram para dizer a irmandade aqui no Brasil também orar por aquele servo de Deus que está preso pela Palavra de Deus. Aleluia. De Hong-Kong tínhamos pensado em ir à Manila, nas Ilhas Filipinas, mas os últimos dias, Deus nos fez sentir de irmos (…)

 

ILHA FORMOSA – CHINA NACIONALISTA – Fomos dessa ilha à cidade de Taipei onde encontramos um grande numero de crentes e nos reunimos numa congregação, onde havia cerca de três mil pessoas; temos nos congregados em varias casa de oração. São muito unidos e caminham na simplicidade. Ali também o Senhor nos deu a falar da Sua Obra. Louvado seja Deus. Aleluia.

 

JAPÃO – Congregamo-nos nas cidades de Tóquio e Hiroshima, pois temos encontrados vários grupos também muito tementes a Deus e buscam fazer a santa vontade de Deus. Foi em Hiroshima que me 1945 lançaram a primeira bomba atômica e vimos fotos que mostram os estragos, as ruínas e como ficaram muitas pessoas multilizadas. 

 

HAWAÍ – Na cidade de Honolulu, encontramos um grupo de crentes, com os quais nos congregamos e na presença de vários ministros, o Senhor nos deu de apontar varias cousas que estão fora da doutrina.

 

ESTADOS UNIDOS – Estivemos em Los Angeles, Chicago, Cleveland, Milwaukee, Kenosha, Buffalo, Philadelphia e Nova York. Louvado seja Deus, que nos tem alegrado junto a toda a cara irmandade onde temos nos congregado, sendo que em Chicago estivemos junto ao caro irmão Francescon, de quem Deus se tem servido em nos dar gloriosos conselhos, ensinamentos, e temos ouvido gloriosas pregações que Deus lhe tem dado, pois apesar de sua avançada idade e sem enxergar mais, porém Deus lhe tem dado de fazer pregações de uma hora e mais até. Louvado seja Deus. Tanto em Chicago, Buffalo e Philadelphia o Senhor nos tem dado  de participar de Santas Ceias e temos visto o Senhor derramar o Espírito Santo em diversas almas. Louvado seja Deus. Aleluia.

 

Portanto cara irmandade, agradecemos a Deus por nos ter dado cumprir essa gloriosa missão, não tenso ido para apresentar apenas o Evangelho, por quanto em todos os lugares em que estivemos, já conhecem a Palavra de Deus, mas Deus nos tem dado de anunciar a Sã Doutrina e lhes mostrar como se encontram fora da mesma e também anunciar em  todos os lugares que a volta de Cristo está próxima e Ele nos quer encontrar preparados. Portanto, se puserem em pratica o que ouviram e clamarem a Deus certamente que Deus os ajudará e os perdoara, caso contrario conforme Deus nos deu de lhes dizer, que naquele dia não terão desculpas perante a presença do Senhor e nós nos sentimos sem responsabilidade, porquanto tudo quanto Deus nos tem dado de lhes apresentar o temos feito. Louvado seja Deus.

Encerrando este breve relato, dessas viagens, somos gratos a Deus, por tudo quanto nos proporcionou, ajudando-nos em tudo e mesmo tendo dado a minha esposa as forças necessárias para cumprir o que lhe tem requerido também, embora passando ela vários dias enferma. Aleluia. Temos por certo que toda a irmandade tem sempre orado por nós e nós também, embora longe, mas sempre nos sentimos junto a vos em espírito, pois que somos membros de um mesmo Corpo cuja cabeça é Nosso Senhor  Jesus Cristo. Aleluia.

 

Queira Deus ajudar a todos nós e nos conservar sempre firmes nesta Graça, para desfrutarmos Suas Bênçãos prometidas ao Seu povo nesta terra e depois recebermos a herança que está preparada nos céus para todos os que Lhe forem fieis até ao fim. Aleluia.

 

E a Deus e a Jesus Cristo, nosso amado e Bendito Salvador, Senhor e Rei, seja dada toda a honra, louvor e glória, agora e para toada a eternidade. Amém.

 

Vosso irmão na fé, que foi dada aos santos apóstolos, da qual também pela graça de Deus somos participantes

 

(a) MIGUEL SPINA

_______________________________

(1) Provavelmente Miguel Spina esta se referindo a Watchman Nee.

O BATISMO CORRETO

Publicado: 1 de fevereiro de 2008 em Batismo

Tanto o “batismo infantil” como o “batismo por aspersão”, não estão de acordo com o Evangelho Eterno. Mas somente o batismo por imersão, e isto, após o sincero  arrependimento e conversão genuína à Cristo. O batismo pode ser realizado em tanque, rio, lago e outros locais, onde existir o elemento água. O batismo não salva ninguém. Pois, a salvação está em Cristo Jesus. Mas o batismo possui um significado espiritual profundo; qual seja, o de passar pelo sangue ou sacrifício expiatório de Cristo, para que seja definitivamente destruído em nós o corpo do pecado. É bom ser mergulhado neste Sacrifício de amor, para não acontecer, ficar aquém deste Sacrifício. “Porque todos quantos fostes batizados em Cristo, de Cristo vos revestistes”. Gl. 3: 27; Rm. 6: 1-14. O batismo é bom que seja ministrado por um varão regenerado, e que realmente esteja “em Cristo”. Notem que o Senhor Jesus escolheu homens, e não mulheres, para ministrar a Ceia, o batismo, ou liderar igrejas. Convém zelar pelos ensinos apostólicos. Se elas verdadeiramente seguem a Cristo, humildemente hão de reconhecer no Evangelho Eterno o seu devido lugar. Cremos que a forma mais correta para o batismo é, levantar a mão direita sobre a pessoa que vai ser batizada e ao mesmo tempo, pronunciar as palavras batismais, sem omitir os “e” distintivos existentes entre o Pai “e” o Filho “e” o Espírito Santo. Lembramos que os apóstolos faziam todas as coisas “em nome de Jesus Cristo”. Quem mandou batizar, porventura foi César, Buda, ou Maomé…? Ou os apóstolos batizavam em seu próprio nome?… Onde estaria então a humildade deles?… Sim, quem mandou batizar?… Porventura, não foi o Rei dos reis, o Senhor Jesus Cristo?… Sim!… E como mandou batizar?… “Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”. Portanto, ainda que o “nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” esteja no nome de Jesus Cristo, pois Jesus é a revelação do Pai. Jo. 17: 11,12.  Assim deve ser o Batismo correto: Irmão (ã), “EM NOME DE JESUS CRISTO”, (eu) te batizo “EM NOME DO PAI E DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO”. E imediatamente mergulhar inteiramente a pessoa na água. E se por algum descuido parte do corpo ficou de fora, pode ser mergulhado em seguida novamente. Contudo, sem pronunciar de novo as palavras batismais. Abrange Atos 2: 38 e Mt. 28: 19. Agindo assim, o ministro estará obedecendo ao mandato do Senhor, e deve estar escondido, refugiado “em Cristo”. Conforme o idioma o segundo “EM” para efeito batismal pode ser “NO”. Assim: te batizo “no nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”. De toda a forma vai redundar no nome de Jesus Cristo. É bom que todos saibam que o Batismo não salva ninguém. Pois a salvação está em Cristo Jesus. Mas recebendo o batismo em obediência ao Senhor, a pessoa morre para o mundo de pecados; dispõe-se e passa (se for fiel) a viver eternamente com Deus, em Cristo Jesus Ressuscitado. Viaja para o Céu. Enquanto o mundo “jaz no maligno”. Em Lucas 18: 16. Está escrito: “Jesus, porém, chamando-as para junto de si ordenou: Deixai vir a mim os pequeninos e não os embaraceis, porque dos tais é o reino de Deus”. Se “dos tais é o reino de Deus”, devemos concluir que todas as crianças do mundo, que ainda não chegaram ao que chamamos de uso da razão, ou discernimento do bem e do mal, estão dentro do “Reino de Deus”. Estão acolhidas e protegidas por estas palavras de Jesus Cristo. Jesus as inclui sem reserva em Seu plano redentor. Acolheu-ás todas. Logo todas as crianças do mundo estão salvas. Não necessitam de batismo até discernirem que também têm pecado. E precisam do Senhor Jesus Cristo. E se decidam, livre e espontaneamente a seguí-lo. Então sim, devem ser batizadas. Mas, nunca devemos impedi-las de chegar-se à Cristo. Esta é a Sua vontade, que desde pequenas elas sejam instruídas e aprendam a seguí-lo. Por outro lado. Batizar-se em lugar de outrem, ou por alguém que já tenha falecido; ou fazer rezas e missas pelos que já partiram, contrariam completamente os ensinos de Cristo. Está escrito: “Ao irmão, verdadeiramente, ninguém o poderá remir, nem pagar por ele a Deus o seu resgate (pois a redenção da alma dele é caríssima e cessará a tentativa para sempre)”. Sl. 49: 7,8. Essas práticas são desvios oriundos de doutrinas de homens e más interpretações do Evangelho Eterno. Notai que dos dois malfeitores, ou pecadores, que foram crucificados ao lado de Jesus, um se converteu ao Senhor e foi acolhido. Jesus, por certo, não necessitava ser batizado. Mas certamente batizou-se por aqueles que O aceitam em vida, como este, e não dá tempo de serem batizados. Pois, o Seu plano Salvador, é completo e perfeito em todos os sentidos. E o outro pecador, ou malfeitor, tão perto, junto à “Porta da Salvação” que é Cristo; vendo e ouvindo tudo, se manteve rebelde. Não aceitou a Cristo. Não foi purificado no “Sangue do Cordeiro”, e partiu em trevas para o além… Adiantaria alguém rezar dez milhões de missas por ele, para salvá-lo?… Ou aceitaria Deus, que alguém se batizasse dez milhões de vezes para salvá-lo?… Não rejeitou ele, em vida, o único Sacrifício aceito por Deus Pai para remissão de pecados, que é o Sacrifício de Cristo?…TEMEI A DEUS E DAÍ-LHE GLÓRIA, POIS É CHEGADA A HORA DO SEU JUÍZO; E ADORAI AQUELE QUE FEZ O CÉU, E A TERRA, E O MAR, E AS FONTES DAS ÁGUAS. Com Deus não se brinca. Leiam a parábola do rico e Lázaro, Lc. 16: 19- 31; e 2 Pe. 2: 4-9. E em Provérbios 15: 24, está escrito: “Para o entendido há o caminho da vida que o leva para cima, a fim de evitar o inferno em baixo”… Ao passar pela morte física muitos terão a triste surpresa de entender, que nunca mais poderão entrar no Céu de Cristo… Por isto, Cristo Jesus, sendo o Verbo Eterno se fez carne. A fim de que, por um único Sacrifício na Cruz, fosse apagado no homem o pecado, mediante a fé, estando este ainda em vida, isto é, na carne.        Da terra a pessoa (alma, ou espírito), parte ou para o Céu, ou para o Inferno. E quem manda e comanda, permanece e prevalece, é a Palavra do Todo-poderoso Deus. 

J. Bertuol

BEBIDA é conveniente ?

Publicado: 21 de janeiro de 2008 em Bebida Alcoólica

 

A sociedade é bombardeada diariamente por intensas campanhas publicitárias, visando aumentar o número dos consumidores de bebidas alcoólicas. Os comerciais veiculados na tv, transmitem uma idéia de sucesso, pregam que serão felizes nos relacionamentos amorosos, interpessoais (muitos amigos) e vitoriosos nas práticas esportivas, entre outras inverdades. É notório o êxito das campanhas promovidas pelos produtores de bebidas; o crescimento dos consumidores é vertiginoso, inclusive, entre os adolescentes e jovens. O álcool é uma droga lícita (tal qual o cigarro) dotada de grande poder destrutivo, os males produzidos pelo seu consumo englobam, desde a deterioração da saúde à destruição da personalidade e dignidade do homem.

Pela constatação dos resultados negativos da ingestão de bebida alcoólica, conclui-se que é uma idéia concebida pelo diabo, a fim de aprisionar o homem ao pecado, destruindo-lhe a dignidade e o amor próprio.
“… Só vem para roubar, matar e destruir…” Jo 10.10a
A mensagem principal do Senhor Jesus é a vida e a sua preservação em santidade e pureza.
”… Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.” Jo 10.10b

É comum encontrarmos dentro das igrejas, vidas que anseiam por uma latinha de cerveja ou uma dose de whisky, estas, não vigiaram devidamente e foram influenciadas pela astuta mensagem do inimigo; preferem satisfazerem à carne e sua “sede” a ouvir a voz do Espírito Santo, que misericordiosamente se materializa na instrumentalidade dos irmãos. A palavra dita por Deus a Ezequiel se aplicam muito bem a eles, veja:

“Os filhos são de duro semblante e obstinados de coração; eu te envio a eles, e lhes dirás: Assim diz o SENHOR Deus. Eles, quer ouçam quer deixem de ouvir, porque são casa rebelde, hão de saber que esteve no meio deles um profeta.”  Ez 2:4,5

O Senhor Deus também fala com profundidade em Sua Palavra sobre a ingestão de bebidas alcoólicas, desaconselhando o seu consumo.

a) Proibida
Ef 5.18  “Não se embriaguem, pois a bebida levará vocês à desgraça; mas encham-se do Espírito de Deus.”
Lc 21.34 “E Jesus terminou, dizendo: —Fiquem alertas! Não deixem que as festas, ou as bebedeiras…”

b) Obra da Carne.
Gl 5.21  “invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.”

c) Uma Vergonha, humilhação ao servo.
Is 28.7,7 “ Mas há outros que também andam tontos por terem bebido muito vinho, que não podem ficar de pé por causa das bebidas: são os sacerdotes e os profetas, que vivem embriagados e tontos. Os profetas, quando recebem visões de Deus, estão bêbados, e os sacerdotes também, quando julgam os casos no tribunal. As suas mesas estão cobertas de vômito, não há um só lugar que esteja limpo.
Pv 20.1 “Quem bebe demais fica barulhento e caçoa dos outros; o escravo da bebida nunca será sábio.”

d) É indecente ao servo
Rm 13.13  “Vivamos decentemente, como pessoas que vivem na luz do dia. Nada de farras ou bebedeiras…”

e) Destituídos do Reino de Deus
1Co 6.10  “os ladrões, os avarentos, os bêbados…  não terão parte no Reino de Deus.”

f) Os beberrões não são companhias dignas
Pv 23.20  “Não ande com gente que bebe demais, nem com quem come demais.”

g) Serão castigados.
Is 5.11  “Ai dos que passam o dia inteiro bebendo cerveja e vinho, desde a madrugada até tarde da noite, e ficam completamente bêbados!” (NTLH)

Que me resta dizer?
A Palavra do Senhor é clara e não deixa margem para dúvidas. É pecado!

O consumo esporádico de vinho é correto?

O vinho era uma bebida tradicional na cultura dos judeus. Sua primeira menção faz referência a Noé (Gn 9.20-21). O próprio Jesus iniciou seus milagres, transformando água em vinho (Jo 2.1-11). Na primeira Ceia, representava o sangue de Cristo (Mt 26.27,29) e assim deve ser hoje em nossos dias, infelizmente, muitos usam o suco de uva para tão magnífica celebração.

O uso tão freqüente do vinho pelos judeus antigos, não nos habilita a imitá-los, hoje vivemos numa cultura na qual o consumo de bebida alcoólica não é vista como edificante.  

Eu acredito que a ingestão de vinho esporadicamente não seja pecado; mas, alguns aspectos precisam ser analisados, por exemplo: a conveniência; saúde; passado ligado ao alcoolismo, etc.

Quando somos sensíveis ao Espírito Santo, Ele nos direciona, testificando em nosso coração a necessidade de tomarmos ou não vinho.

Esta atitude vai edificar a minha vida?
Vou edificar o próximo?  
Qual a resposta?

Elias R. de Oliveira

Pecado para morte

Publicado: 21 de janeiro de 2008 em O Pecado
Tags:

LÂMPADA PARA OS MEUS PÉS É A TUA PALAVRA

Se alguém vê seu irmão cometer um pecado que não conduz à morte, que ele ore e Deus dará a vida a este irmão, se de facto o pecado cometido não conduz à morte. Existe um pecado que conduz à morte, mas não é a respeito deste que eu digo que se ore. Toda a iniquidade é pecado, mas há um pecado que não conduz à morte.
(BJ)
  1JOÃO 5:16-17   Este trecho, analisado duma forma superficial pode levar-nos a entender que há pecados que, pela sua natureza e grau de gravidade, Deus não os perdoa e que por consequência levam à perdição; e que há outros que, sendo menos graves, podem ser perdoados por Deus, resultando na absolvição de quem os comete, se houver arrependimento. Outras traduções parece darem a mesma ideia:

Há pecados que não levam à morte. (SBP) Há um pecado que não incorre em morte. (TNM) Todo o feito errado é pecado, mas há pecado que não é mortal. (KJ)

O termo não é mortal, aqui empregue, pode traduzir-se por venial, em uso na igreja romana. E para termos uma ideia do que ele pode significar, consultemos: LEVÍTICO 4:1-3, 13-14, 27-28; 5:1-5, 15 e 17. Analisando as coisas deste modo, somos levados a afirmar que há pecados cuja gravidade não permite que venham a ser perdoados por Deus. Mas João refere-se a um género ou tipo de pecado; ou à reacção perante o pecado cometido ? Será que há pecados mais gravosos do que outros; ou tem a ver com aquelas pessoas que teimosamente permanecem no pecado e não se reabilitam dele, por orgulho ou teimosia? Biblicamente existem vários conceitos para o termo pecado.

Um pode ser traduzido por pecado primário. Adão e Eva incorreram nisso, tornando-se por natureza pecadores. Pretenderam obter o conhecimento do bem e do mal. 

GÉNESIS 2:17 O fruto da árvore era delícia para os olhos.
GÉNESIS 3:6
É a isto que o apóstolo João chama a concupiscência ou sensualidade dos olhos. JOÃO 2:16 O pecado também é transgressão das leis divinas. E neste conceito ele pode ser de índole involuntária, cometido contra a vontade própria do indivíduo, sem que a sua consciência intervenha; ou poderá ser de índole voluntária, quando há plena consciência dele e vontade de o cometer. As Escrituras afirmam que “se pecarmos voluntariamente, dentro do conhecimento da verdade, já não resta mais remissão pelo pecado.” HEBREUS 10:26-27 Há certos pecados que algumas pessoas crentes cometem, já de costas voltadas para Deus, desviados, indiferentes às exigências divinas estabelecidas como regras da vida cristã. A gravidade dessas transgressões, e muitas vezes a reincidência ou a permanência nesse estado, é como que a derrapagem para a perdição. Sem que haja um reconhecimento do pecado e consequente arrependimento, a pessoa torna-se assim num pecador crónico, num desviado sem possibilidades de recuperação. Aqui ele já perdeu a sua condição de filho de Deus, por vontade própria; não que Deus o haja rejeitado, mas porque ele próprio se afastou. Não foram propriamente os seus delitos que o afastaram de Deus; mas cometeu os seus delitos por se ter afastado de Deus. A perda dos valores espirituais e da integridade espiritual, são a causa única que pode levar o crente a cometer pecados que o lançarão voluntariamente na morte eterna. Deus reserva os injustos para o dia do Juízo e derramará a sua ira sobre toda a impiedade e injustiça. 2PEDRO 2:9-10; ROMANOS 1.18 Aquele que pecar contra Deus, será riscado do seu livro. ÊXODO 32:33 Se Deus risca do seu livro, e trata-se do livro da vida, então poderemos deduzir que se tratam de pecados cujo tipo pode ser de índole mortal. Entenda-se que a morte que decorre deste pecado, não é a morte física, mas a morte espiritual, ou morte eterna. Por isso todas as pessoas que a Bíblia refere como excluídas da vida eterna, são aquelas que cometem pecados a que poderemos chamar mortais.

O APOCALIPSE apresenta-nos duas listas. Uma no capítulo 22:15 e outra em 21:8:

  1. Os Tímidos, ou cobardes. Tímido, não deve ser entendido como designando as pessoas introvertidas, reservadas, ou que pela sua personalidade revelem delicadeza. Mas sim os cobardes, os medrosos, os que temem tudo e todos, receando manifestar o que são e o que pensam, com medo de serem rejeitados ou punidos. NÚMEROS 14:9, 11, 29-30

  2. Os Incrédulos. Destes fazem parte as criaturas que negam o seu Criador. Os que duvidam das promessas divinas. Os que recusam o dom gratuito da salvação e renunciam ao seu direito de se tornarem novas criaturas. NÚMEROS 21:9; 2TESSALONICENSES 2:10-11; 3:2

  3. Os Abomináveis. Os cães ou promíscuos. Estão aqui incluídos os depravados sexualmente, os homossexuais LEVÍTICO 18:22; 20:13, os zoófilos  ÊXODO 22:19; LEVÍTICO 18:23; 20:15-16; DEUTERONÓMIO 27:21, e aqueles que não respeitam a integridade moral das pessoas.

  4. Os Homicidas. Na lei de Deus, os dez mandamentos, está expresso no sexto mandamento, que é pecado matar. ÊXODO 20:13


A lei de Moisés, em LEVÍTICO 24:17, funcionando como código penal, determina que o homicídio é punível com a morte. Este princípio actualmente, na nova dispensação, continua em vigor. E Cristo até vai mais longe, dilatando-o: Quem insultar ou rebaixar o seu irmão, será réu do Juízo.   MATEUS 5:21-22 (SBP)

 “Ouviram o que foi dito aos antigos: Não matarás. Aquele que matar alguém terá de responder em julgamento. Mas eu digo-vos mais: Todo aquele que se irritar contra o seu semelhante terá de responder em julgamento; aquele que insultar o seu semelhante, chamando-lhe “imbecil”, será julgado pelo tribunal; e aquele que lhe chamar “estúpido” merece ir para o fogo do inferno.

  1. Os Fornicários e os que se prostituem. A fornicação é a prática sexual de forma depravada; é o sexo fora do matrimónio; é sexomania e relações sexuais ilícitas; é o sexo levado à forma de violência.

A prostituição é toda a forma corrupta de usar a sexualidade. Os dois termos, portanto, são praticamente sinónimos um do outro. DEUTERONÓMIO 22:13-21  determina a pena para quem atenta numa virgem e nela comete o seu pecado de abuso sexual. LEVÍTICO 20:10 e DEUTERONÓMIO 22:22  estabelece a mesma punição para o adultério.

E o Senhor Jesus dilata o espírito da lei, afirmando que cobiçar a mulher do nosso próximo se traduz no mesmo pecado. MATEUS 5:27

  1. Os Feiticeiros ou os que praticam o espiritismo. A prática e a vivência espíritas é dos pecados mais vulgarizados nos nossos dias. Além disso temos assistido ao reaparecimento da astrologia, cartomancia e quiromancia, adivinhação e todas as práticas afins, como os sortilégios e as magias, os quais alastram pelo mundo como uma praga, que a pouco e pouco vai afastando o ser humano de Deus; embora se queira fazer crer que todos esses costumes são de inspiração divina.

ÊXODO 22:18 e LEVÍTICO 20:27  estabelece a pena de morte para os que tais actos praticam. E, se pela lei de Moisés, os feiticeiros e os adivinhos eram executados, de quanto maior rigor se usará no Juízo em relação a essas pessoas?

  1. Os Idólatras. ÊXODO 22:20 e DEUTERONÓMIO 17:2-5 manda matar os idólatras. Isto está praticamente demonstrado em ÊXODO 32:31.

Este é o pecado que Deus mais abomina. Ele repudia todas as formas de adoração que não sejam exclusivamente dirigidas à sua pessoa, porque isso demonstra falta de devoção para com ele e contraria o amor que lhe é devido de todo o nosso coração, de toda a nossa alma e de todo o nosso pensamento. É confrangedor pensar que em certos sectores religiosos, ditos cristãos, tantas almas rendam culto a santos da sua devoção e os levem sobre os ombros em procissões, pensando que estão servindo a Deus; quando na realidade, a pena estabelecida para os que isso fazem é a morte eterna.

A avareza também é considerada como idolatria. COLOSSENSES 3:5-6

  1. Os Mentirosos. Os que amam e cometem a mentira.

Uma mentira, à custa de tantas vezes repetida, torna-se numa verdade incontestável. Quantas coisas hoje, tidas como certas, defendidas como verdades, são herança de erros falaciosos do passado, introduzidos por homens que amaram mais a mentira do que a verdade.  ROMANOS 1.25

Como podemos ver em DEUTERONÓMIO 13:1-15 o falso profetismo era condenado com a morte. Todo aquele que induzisse o povo em erro, proclamando abusivamente palavras que não provinham de Deus, seria morto.

  1. A Blasfémia contra o Espírito Santo.

Jesus revelou que deve haver o máximo cuidado quando pronunciamos algo referente ao Espírito de Deus e ás suas formas de actuação. Pode haver até casos em que seja óbvia a proveniência satânica de certas actuações; mas mesmo assim devemos abster-nos de as censurar ou condenar. LUCAS 12:10 Depois de todas estas considerações acerca do que pode ser pecado para morte, interessa realçar que tudo isto deve ser considerado dentro do campo do conhecimento dado pelo cristianismo. Deus não tem em conta os tempos da ignorância. Se alguém, antes de conhecer Jesus Cristo, cometeu alguma das faltas consideradas como pecado para morte, saiba que pela lavagem do baptismo da regeneração, proveniente do arrependimento, tudo fica esquecido para sempre. Além disso consideramos também que qualquer falta ou transgressão, por mais gravosa que seja, nunca consegue sobrepujar a misericórdia divina. E Deus, pelo seu infinito amor, decerto nunca deixará de perdoar a quem contritamente se arrependa dos seus erros e pecados.

“Portanto, irmãos, agora podemos entrar com toda a confiança no santuário, porque Jesus morreu por nós.
Ele abriu-nos um caminho novo e cheio de vida, ao entrar no santuário, rasgando a cortina, que é o seu próprio corpo. Agora temos o autêntico sumo sacerdote, responsável pela casa de Deus.
Aproximemo-nos, pois, de Deus com coração sincero e cheios de fé, purificados de toda a consciência de pecado e o corpo lavado com água pura.
Sejamos firmes em proclamar a nossa esperança, certos de que Deus não deixará de cumprir as suas promessas.
Façamos também por nos animarmos uns aos outros no amor e na prática das boas obras.
E não faltemos às nossas reuniões. Alguns têm por hábito faltar. Pelo contrário, animem-se uns aos outros cada vez mais, pois sabem que se vai aproximando o dia da vinda do Senhor.
Se continuarmos deliberadamente a pecar depois de termos recebido o conhecimento da verdade, então já não há sacrifícios que possam perdoar os pecados. Só nos resta esperar o terrível julgamento de Deus e um fogo violento que há-de destruir os seus inimigos.
Quem transgride a Lei de Moisés é condenado à morte sem piedade, desde que a sua culpa seja provada por duas ou três testemunhas.
Pensem bem quanto maior não deve ser o castigo que merecem aqueles que desprezam o Filho de Deus!
E que será daqueles que insultam o Espírito de Deus de quem receberam tantos dons e daqueles que desprezam o sangue da aliança que os purificou?”

HEBREUS 10:19-29

  Desta leitura depreende-se que devemos aproximar-nos de Deus com determinação, honestidade e confiança. O nosso apego a Deus não dá lugar ao pecado, nem permite que continuemos a laborar naquilo que nos leva à morte. A nossa firmeza em testemunhar e manter a nossa esperança, dá-nos ânimo e coragem para resistir a tudo quanto é mau. Isto depende essencialmente da nossa assiduidade às reuniões de culto e da comunhão que mantemos uns com os outros. “O pecado jaz à porta”. Ninguém está livre de incorrer em qualquer falta, seja ela qual for; mas se lhe dermos continuidade e não nos esforçarmos por deixar tudo quanto Deus aborrece, já não resta ajuda, nem força, nem apoio que nos valha. Poderemos então assim estabelecer como pecado mortal, todo aquele de que o pecador se não arrependa e que orgulhosa e obstinadamente mantenha, não procurando de Deus o perdão e a sua reabilitação.
  JFA  = Tradução João Ferreira de Almeida SBP  = Português Corrente da Sociedade Bíblica Portuguesa TNM = Tradução do Novo Mundo APF  = António Pereira Figueiredo

KJ   = Versão Inglesa King James  

 

Manuel José dos Santos